Ir para o conteúdo

Igreja de Nossa Senhora da Conceição de Évora Monte

A primeira referência conhecida à Igreja de Santa Maria do Castelo data de 1271, altura em que é estabelecido entre D. Afonso III e o Bispo de Évora um acordo relativo à posse de algumas igrejas alentejanas, encontrando-se esta sob a tutela da Sé de Évora. Foi a primeira igreja da vila e é provável que já existisse antes desta data.

Em 1289 foram fundados os cargos de beneficiados da Igreja de Santa Maria do Castelo de Evoramonte, por causa da devoção que D. Domingos Anes Jardo, na altura bispo da diocese de Évora, tinha pela imagem de Santa Maria que estava nesta mesma igreja.

O sismo de 1531 fez ruir uma grande parte do templo, sabendo-se que, embora ainda não totalmente reconstruída, já estava reaberta ao culto em 1534.

Em 1748 passa a denominar-se Igreja de Nossa Senhora da Conceição, denominação essa que ainda hoje possui.

De traça maioritariamente quinhentista, tem duas portas ogivais góticas: na fachada e no alçado lateral esquerdo, ambas feitas em granito e desprovidas de impostas.

A sua planta é rectangular, possui três naves e falso coro. Possui ainda pia baptismal e púlpito do séc. XVI.

Nos alçados laterais da igreja foram descobertas recentemente algumas pinturas a fresco. Do lado esquerdo, no local onde se situava o Altar de Santo António, está representado o Episódio de Santo António e o milagre de Pádua, salvando o pai da forca. Neste painel estão ainda presentes as imagens de São Gregório, Santa Maria Madalena e São João Baptista. No lado direito, podem ver-se as imagens de Santo António e Santa Bárbara.

De realçar também o painel de azulejos sevilhanos de finais do século XV que se encontra embutido inferiormente no Altar de Nossa Senhora do Rosário.