Ir para o conteúdo

Hospital Real de São João de Deus

Foi D. Afonso VI que inicialmente autorizou este hospital militar em 1669/70, funcionando, nessa altura, no local onde hoje se encontra o Convento “dos Congregados”. Alguns anos mais tarde, a mesma instituição foi deslocada para um edifício que se situava na Rua dos Currais (hoje Rua Brito Capelo). Mudou-se definitivamente para a Rua de Santa Catarina em 1720, mandado construir aquele imóvel pelo próprio rei D. João V, utilizando-se a já existente Ermida de Santa Catarina como igreja do convento.

A gestão do convento foi entregue logo de início à Ordem Hospitaleira de São João de Deus, com oito frades, estabelecendo-se a partir de 1732/35 a Ordem Terceira de Nossa Senhora do Carmo. Apesar da extinção do convento em 1834, o hospital militar funciona oficialmente até 1939.

Da época barroca subsiste principalmente a arquitectura joanina e “severa”, pois as várias utilizações do edifício mantiveram-no de pé mas infelizmente descaracterizaram-no interiormente. O edifício é de planta quadrada e mantém do Barroco a sua cúpula octogonal com pináculos, um pequeno nicho na igreja ornado com mísulas com motivos florais e um estuque, na sacristia, de cerca de 1725, decorado também segundo os cânones artísticos da época. Tinha escudo de armas marmóreo que ficou na posse do Museu Municipal na década de 1970 e todo o seu recheio de grande riqueza artística foi distribuído pelas igrejas de São Francisco, São Miguel (Anjo da Guarda) e Santo André.

O edifício pertence ao Regimento de Cavalaria n.º 3 e aí funciona hoje em dia a Casa de Sargentos do mesmo.