Ir para o conteúdo

Hospital da Misericórdia (Porta Nova)

Primeiramente instalada na Igreja de São Miguel (ou do Anjo da Guarda) a partir de inícios do séc. XVI, a Misericórdia de Estremoz foi transferida para o imóvel existente no Largo da República em 1610, que é hoje ocupado pela Sociedade Recreativa Popular Estremocense e Sociedade Filarmónica Artística Estremocense (SFAE), fixando-se definitivamente no Convento de São João da Penitência em 1881.

Foi adaptado a partir de um imóvel preexistente, um hospital a cargo da Confraria de Nossa Senhora dos Mártires durante a Idade Média.

O imóvel, pelas várias reutilizações que sofreu até hoje, perdeu muitos dos seus atributos artísticos, sendo os seus painéis de azulejo existentes no local da antiga igreja (Virtudes Cardeais e Teologais) e no piso superior (sala de ensaios e salão da SFAE) o melhor testemunho de que o Barroco também passou por aqui. De referir também a escadaria de mármore e o seu tecto que dá acesso do claustro ao primeiro piso do antigo hospital.

Os azulejos do primeiro piso (sala de ensaios) apresentam-se em vários painéis ilustrativos das “obras da Misericórdia”, um dos 15 que ainda existem em todo o país, enquanto que o salão oposto tem o rodapé forrado de azulejos de figura avulsa.

De notar também o Oratório de Nossa Senhora da Guia, hoje dedicado às Almas Santas, que está junto ao alçado direito do convento, na Rua das Almas. Fundado na segunda década do século XVIII, apresenta-nos alguns elementos barrocos como as volutas laterais ou o tímpano redondo. Ainda mantém um painel azulejar das Alminhas do Purgatório com a recorrente insígnia latina P.N.A.M. (em português “Pai Nosso Avé Maria”).

Morada: Largo da República, 18 e 18A