Ir para o conteúdo

Fortificação Abaluartada de Estremoz - Porta de Santa Catarina

Nas Guerras da Restauração houve uma necessidade óbvia de defender o Reino da ofensiva espanhola, especialmente em vilas e cidades de fronteira.

É neste contexto que foram construídas várias fortificações nessas localidades, nomeadamente em Estremoz. Não sendo exactamente uma vila de fronteira, funcionava como 2ª linha de defesa do território, especialmente em apoio logístico (armazém de armas, mantimentos e tropas). Foi D. João IV (r. 1640-1656), o primeiro dos Braganças a reinar em Portugal que em 1642 ordenou a João Pascácio Cosmander o desenho da futura muralha poligonal abaluartada estremocense. Esta obra protegeria a vila de hipotéticos ataques e avanços das tropas espanholas, sendo que os novos baluartes estavam adaptados para batalhas de artilharia pesada.

A Porta de Santa Catarina mantém um nicho de devoção à padroeira, tendo como elemento mais interessante a guarita da ronda militar, em estilização de canhão e enobrecida pelo escudo régio de Portugal.

Horário: Vistia sem restrições