Convento das Maltesas

O Convento de São João da Penitência, mais conhecido por Convento das Maltezas, foi sede de clausura de freiras da Ordem de Malta a partir do séc. XVI. O seu Claustro é o mais amplo de todos os conventos da cidade e mostra-nos a arquitectura manuelina. Cada ala tem dez arcos, subdivididos em quatro arcadas geminadas e duas simples, todas sigladas pelos mestres canteiros que forneceram e afeiçoaram as pedras que as constituem. Os fustes (parte central das colunas) estão apoiados em bases quadradas, cujos capitéis se apresentam indiferenciadamente simples e lisos ou com motivos naturalistas. As mísulas da abóbada em ogiva, com motivos tipicamente manuelinos e com motivos antropomórficos e zoomórficos, são bastante curiosos e artisticamente interessantes.

O Renascimento também por aqui passou, bem visível no tanque central do jardim, de planta quadrangular com uma taça maior de máscaras e uma mais pequena com cabeças de faunos.

Em 1973, na sequência de obras de pintura dos alçados exteriores do claustro, colocou-se a descoberto o portal primitivo da Sala do Capítulo, do período manuelino. Deverá ter sido entaipado aquando da construção de um novo no século XVIII, mais pequeno. Voltou a tornar-se visível a inscrição em caracteres latinos alusiva ao episódio de “São João no Deserto” que a obra setecentista tinha tapado.

Hoje em dia é propriedade da Misericórdia de Estremoz, funcionando nas dependências do claustro o Pólo de Estremoz da Universidade de Évora e na ala sul o Centro de Ciência Viva de Estremoz, um museu interactivo e pedagógico dedicado exclusivamente à Geologia.

Horário: Segunda-feira. das 9h00 Às 12h30 e das 14h00 às 20h00 | Terça - Sexta: das 9h00 às 20h00 | Sábados e Domingos: das 10h00 às 20h00