Casa da Convenção de Evoramonte

 

Imóvel sito na antiga Rua Direita, hoje designada por Rua da Convenção por aqui estar a casa onde foi assinada uma Convenção entre os Absolutistas e os Liberais, a qual finalizou com a Guerra Civil em Portugal.

Este edifício é arquitectonicamente vulgar, de cariz regional, rural, de planta rectangular, com dois pisos e sem qualquer trabalho de cantaria a assinalar. Toda a habitação foi construída tendo por base a pobre alvenaria. Na fachada principal possui apenas uma porta de entrada e duas janelas, uma das quais muito pequena.

 Para indicar esta casa como o local onde foi assinada a Convenção de 1834, foi colocada entre o lintel da porta e a janela acima desta, uma placa em mármore branco de Estremoz com a seguinte inscrição pintada a negro: EM 26 DE MAIO DE 1834 N’ESTA CASA DE JOAQUIM ANTONIO SARA/MAGO FOI ASSIGNADA A CONVENÇÃO DE EVORAMONTE QUE RESTABELECEU A PAZ EM PORTUGAL.

A placa foi aqui colocada por iniciativa do proprietário do imóvel, entre o final da década de vinte e o princípio da de trinta do século XX, aquando da realização de reformas nesta habitação. A presente placa veio substituir um simples dístico era igual há que hoje podemos observar.

O estremocense Joaquim António Dias Saramago, além de médico nesta zona, era nessa época administrador do concelho sendo, e tal como indica a placa evocativa do acontecimento, igualmente o proprietário do imóvel, local onde as partes intervenientes na Guerra Civil se sentaram e assinaram a Convenção. No ano seguinte, encontramo-lo como Juiz do Celeiro Comum desta povoação.