Cadeia Manuelina

Este edifício terá sido construído no reinado de D. Manuel I (1495-1521), a julgar pelas suas características arquitectónicas. Sabe-se apenas que já existia em 1497, tendo sido transferidos estes serviços para este imóvel directamente do Paço Real (LIBERATO, 2007).

Obra de arquitectura civil manuelina, tem planta quadrangular e dois pisos, cunhais aparelhados, janelas de mármore fortemente gradeadas. O corrimão da escada exterior é apoiado em cunhal de decoração discóide. No mesmo alçado há um balcão artisticamente também interessante, de verga polilobada e colchetes esculpidos.

A designação de Cadeia Comarcã recebeu-a já no século XX, mais concretamente em 1936, quando o governo cria esta figura jurídica no sistema prisional português, em que os condenados até ao máximo de 3 meses de pena de prisão seriam encarcerados neste tipo de cadeias.

As cadeias comarcãs são extintas em 1969, sendo que o último preso foi transferido para Évora já em inícios da década de 70, segundo informações orais de antigos presos locais.